Publicidade

Técnicas para um goleiro segurar a bola








Nenhuma das posições de uma equipe de futebol tem tanta responsabilidade quanto o goleiro. Mais do que seus companheiros, o goleiro precisa sempre ser perfeito e seguro. Para isso, é importante que ele se atenha a técnicas fundamentais para facilitar suas defesas.

É importante salientar que o bom goleiro não é conhecido por saltos espetaculares, mas por sua regularidade, segurança e colocação. Esse é um ponto fundamental para qualquer defesa e o goleiro precisa ter certeza de que seu corpo esteja atrás da linha da bola.

Em bolas rasteiras, por exemplo, o goleiro deve ter atenção especial com o posicionamento de seus membros inferiores. O jogador deve flexionar as duas pernas e tocar o solo com um dos joelhos. Com isso, é mais difícil que a bola passe no vão entre as pernas.

As mãos, em casos de chutes rasteiros, devem ser colocadas em forma de concha sobre a bola. Quando o goleiro conseguir tocar a esfera, deve flexionar o braço para trazê-la para perto do peito.

Só há duas situações em que esse movimento não se aplica para chutes rasteiros: em bolas colocadas no canto do goleiro ou em ocasiões em que o gramado estiver molhado e irregular.

No caso do gramado molhado ou irregular, o goleiro deve se projetar sobre a bola como em um peixinho (movimento usado para cabeçadas), pressionar a bola contra o peito e cair sobre ela.

Nos chutes direcionados para o canto, o goleiro deve sempre tentar chegar à bola com as duas mãos (uma atrás da esfera e outra por cima). Se não for possível, o goleiro sempre tem a opção de espalmar com apenas uma das mãos.

O posicionamento das mãos, aliás, é diferente para bolas à meia altura. Nesse caso, o goleiro deve pular com as mãos em forma de concha e tentar segurar a bola no alto. Sempre que possível, porém, ele deve dar um passo para o lado e encaixar o chute sem se jogar no chão.

Já os chutes altos requerem o mesmo posicionamento das mãos do goleiro. Em forma de concha, ele deve tentar segurar a bola. Se não for possível, deve abrir bem a mão e dar um tapa na bola para mandá-la para a linha de fundo.

Um ponto importante em defesas desse tipo é que a maioria dos goleiros tem a mania de espalmar a bola, cair e rolar no campo. O goleiro deve estar preparado, contudo, para nunca ficar de costas para a partida e nem perder a concentração antes de o juiz interromper o duelo.

Equipe Universidade do Futebol

Bibliografia

ABELHA, João Batista Lopes. Treinamento de goleiro. Editora Ícone, 1999.

Comente:

Nenhum comentário