Publicidade

A paradinha no futebol





A tal “paradinha” gerou discussões no mundo inteiro. Este gesto caracteriza-se quando o jogador realizar a corrida para a bola e, no momento em que se é esperado o chute (quanto a bola entra no seu raio de ação), o cobrador executa uma parada, finta ou simplesmente ameaça o chute na tentativa de ludibriar o goleiro que, possivelmente, se antecipa a cobrança caindo para um dos lados.


A paradinha dificulta em incontáveis vezes a possibilidade de defesa do goleiro que, como falado anteriormente, necessita antecipar-se à cobrança.

O estilo virou moda no Brasil e tornou-se muito comum entre os jogadores alegando que não seria nenhuma novidade visto que até o termo “paradinha” no pênalti já era conhecido no futebol. Quando batia pênaltis, Pelé partia pra bola e diminuía o trote o que enganava os goleiros mais afoitos ou que simplesmente contavam com a sorte e escolhiam o canto, a esta ação de Pelé foi denominada “paradinha”. Para tanto a “paradinha” deu lugar a “paradona” e a polêmica perdurou.

Até que, então, em uma reunião da International Board em Zurique (Suíça) a Fifa proibiu a paradinha em cobranças de pênalti em Maio de 2010. Foi publicada a seguinte ementa na Regra 14: "fintar o goleiro durante corrida em direção a bola é permitido, no entanto, fingir chutar a bola uma vez que o jogador completou a corrida é considerado ilegal de acordo com a regra 14 e a atitude antidesportiva fará o jogador ser punido"


Comente:

Nenhum comentário